Voltar

A moda do glúten “free”: essa é mesmo a opção mais saudável?

Aderir a uma alimentação super restrita só porque ela está na moda é algo que devemos pensar e ter um super cuidado, principalmente quando se trata de alimentação infantil.

Quantos especialistas no assunto você já ouviu afirmar que existe relação no corte do glúten com perda de peso ou qualidade de vida?

Ser saudável não é necessariamente restringir alimentos. Tudo é uma questão de equilíbrio e orientação especializada.

A restrição de uma dieta sem glúten deve ser única e exclusivamente para portadores da doença celíaca, doença autoimune que causa um processo inflamatório na parede interna do intestino delgado. Por este motivo, ela causa a ineficiência das vilosidades intestinais acarretando assim, a diminuição da absorção de nutrientes essenciais, água e sais minerais. Essa doença atinge cerca de 1% da população mundial e deve ser levada muito a sério pelos portadores desta patologia, pois a ingestão de glúten no celíaco pode causar diarréia, dor intestinal, flatulência, lesões na pele, anemia, infertilidade, queda de cabelo e falta de ar.

A doença somente é diagnosticada por meio de exames de sangue. Caso seja confirmada, o acompanhamento de um nutricionista é necessário a fim de evitar desfalques de nutrientes importantes para a saúde.

Apesar de muitos acharem que o glúten é um carboidrato, ele é na verdade composto por dois grupos de proteína: gliadina e glutenina. Ele está presente em muitos cereais, como o trigo, aveia, cevada, malte, centeio e seus derivados.

O Dr. Joseph A. Murray, da Mayo Clinic, especialista internacional na doença celíaca afirma que "ao contrário do que muitas pessoas pensam uma dieta sem glúten não é necessariamente uma dieta saudável".

Muitas pessoas associam o ganho de peso ao fato de consumir alimentos que contenha glúten. Não há estudos que comprovam essa teoria! O glúten não tem nenhuma relação direta com a perda de peso. Às vezes isso acontece porque a pessoa deixou de consumir a farinha refinada e essa mudança terá um impacto direto em seu peso corporal. Retirar os cereais que contém glúten da alimentação de uma pessoa saudável é reduzir a quantidade de fibras e pôr em risco a saúde em longo prazo.

Alimentos ricos em glúten ajudam a controlar a glicemia e os triglicérides, aumentam a absorção de vitaminas e minerais, melhoram a flora intestinal e deixam o sistema imunológico mais forte. É importante também esclarecer que cortar as versões integrais desses alimentos pode ser ainda mais grave, pois a dieta da criança ou adulto ficará desfalcada de magnésio, absorção de selênio, manganês e vitaminas do complexo B.

Às vezes um alimento sem glúten contém mais gordura ou sódio que um alimento convencional. Por isso é muito importante sempre ler o rótulo antes para entender o que de fato irá ser consumido.

A falta de conhecimento e, algumas vezes, o excesso de informações errôneas dadas por alguns “profissionais” nos faz cair em uma grande cilada sobre o que de fato é uma alimentação balanceada e saudável.

Sua saúde vale muito, por isso não entre nessa armadilha, consulte sempre um nutricionista ou médico.

Assine nossa newsletter