Voltar

Dez dicas de alimentação para gestantes

Quando uma mulher decide que está na hora de engravidar, muitas dúvidas surgem. Será que é a melhor hora? Vou dar conta de todos os meus compromissos? E claro, como devo me alimentar?

Para ajudá-las nossa nutricionista Gislaine Donelli selecionou dez dicas de alimentação saudável para as futuras mamães.

Primeira dica: frequência das refeições. É importante fazer todas as refeições do dia: café da manhã, lanche da manhã, almoço, lanche da tarde e jantar. Dependendo dos intervalos e horários entre uma refeição e outra é necessário aumentar mais um lanche. A alimentação de 3 em 3 horas é super importante!;

Segunda dica: prato colorido. Verifique o colorido do seu prato, este é um bom início para uma reeducação alimentar. O prato deve ter alimentos que forneçam nutrientes como proteínas, vitaminas e sais minerais. Esses alimentos são responsáveis por quase 80% do colorido nas refeições. Os carboidratos e as gorduras também são importantes, mas devem ser consumidos moderadamente. Variar os alimentos é muito importante, pois assim a gestante garante o consumo de diversos nutrientes e não corre o risco de viver a monotonia alimentar muito frequente no período de gravidez;

Terceira dica: cuidado com os chás. Estudos indicam que alguns chás, podem ser abortivos, como os de canela e de cravo-da-índia. Os chás a base de cafeína também devem ser evitados durante toda a gravidez. Ela é um estimulante do sistema nervoso central, o que pode deixar a mulher agitada, com taquicardia, trazendo aceleração dos batimentos cardíacos não somente para ela, mas também para o bebê. Chás de fruta ou de hortelã são boas alternativas, assim como a infusão de água fervida com uma fatia de gengibre, que melhora o enjoo.

Quarta dica: pequenas refeições. Para amenizar as náuseas e vômitos, que causam tanto desconforto, é recomendado fazer pequenas refeições; dar preferência a alimentos com baixo teor de gordura; consumir alimentos em preparações abrandadas, como por exemplo, na forma de purê. Uma recomendação muito tradicional é o consumo de um ou dois biscoitos do tipo “cream cracker” antes de se levantar, pela manhã;

Quinta dica: comer legumes. Se a gestante não consome legumes regularmente, ao escolher um suco de fruta, por exemplo, acrescente uma cenoura, pepino ou beterraba;

Sexta dica: dê preferência a alimentos integrais. A composição deste alimento não foi alterada pelo processo de industrialização e tem sua estrutura molecular mais complexa, sendo assim, não tem perda de valores nutritivos. São ricos em fibras e possuem índice glicêmico baixo e são absorvidos mais lentamente pelo organismo. Ainda sim, não podemos esquecer que esses alimentos são carboidratos, que em excesso viram gordura no nosso corpo;

Sétima dica: evite produtos industrializados. Utilize azeite e não óleo ou molhos industrializados para temperar as saladas. O consumo dos adoçantes artificiais (sacarina, aspartame e outros) deve ser com base na prescrição de um profissional e não de forma indiscriminada durante a gestação;

Oitava dica: consumo de alimentos com presença de ácido fólico. No primeiro trimestre da gravidez é importante a ingestão de ácido fólico, essencial na formação do sistema neurológico da criança. Esse nutriente está presente em alimentos como ovo, feijão, cereais, leguminosas e carne vermelha;

Nona dica: alimentos para evitar constipação intestinal. A constipação intestinal é previsível na gestação e, como prevenção, é importante a ingestão de água (04 copos no mínimo), e verduras (folhas cruas ou cozidas) e frutas (com casca). Cuidado com a higienização dos alimentos. Devem ser muito bem higienizados para evitar a toxoplasmose. Além disso, a caminhada ajuda muito. O uso de laxantes não é recomendado;

Décima dica: escolha alimentos orgânicos! Os alimentos orgânicos são mais saborosos, já que são cultivados sem agrotóxicos, aditivos químicos ou modificações moleculares. O Empório da Papinha, além das papinhas orgânicas, tem opções de refeições orgânicas para toda a família. São produtos práticos e seguros, pois passam por um processo de ultracongelamento, que mantêm os valores nutricionais dos alimentos, assim como a textura e sabor.

Assine nossa newsletter