Voltar

Dicas para a introdução alimentar

Seis meses se passaram e agora somente o leite materno não é capaz de garantir todos os nutrientes que o seu bebê precisa, (mas ele continua sendo extremamente importante também) e é neste momento que entra em cena uma etapa muito importante: A introdução alimentar. Chegou a hora de apresentar novas texturas e sabores para o seu bebê!

A Organização Mundial da Saúde recomenda que a introdução alimentar inicie a partir dos 6 meses de idade. Antes disso somente o leite materno é suficiente, mas mesmo com a alimentação já estabelecida, é aconselhado que a amamentação continue até os 2 anos, ou mais.

E pra você mamãe que está passando por essa fase agora, vão aí algumas dicas que podem ajudar a facilitar esse processo.

Exemplo é tudo: Já falamos sobre este assunto no post anterior, se você não viu ainda vale a pena conferir, é só clicar aqui. Não dá pra exigir que o seu filho coma saudável se esta não é a regra da casa né? Então se alimentos saudáveis não fazem parte da dieta da família, pode ser difícil a adaptação da criança também.

Ambiente tranquilo ajuda: Um ambiente tranquilo, sem barulhos ou distrações ajuda muito! Isso por que os bebês tendem a se distrair bastante, podendo prejudicar as refeições. Aproveite este momento para fazer as refeições em família!

Por onde começar: Não há regras sobre quais alimentos apresentar primeiro, mas uma boa sugestão é começar com as frutas e depois ir acrescentando os legumes e vegetais aos poucos. Claro que se forem orgânicos é melhor ainda, mas quando não for possível, dê preferência para os alimentos da estação por conterem menos agrotóxicos.

Quais combinações fazer: O ideal é oferecer uma alimentação variada e rica em nutrientes, por isso é preciso unir representantes dos quatro grupos alimentares principais: hortaliças e frutas, carnes e ovos, cereais e tubérculos e grãos. De início, pode começar a oferecer duas papas de fruta e uma papa de legumes diariamente durante o primeiro mês. A papa de legumes deve conter um alimento de cada grupo alimentar.

Tempero ideal: Para temperar, o uso de ervas está liberado, mas nada de picância nessa primeira fase em? Dê preferência para ervas frescas porque têm sabor mais suave do que as secas. Ervas e temperos como salsinha, cebolinha, coentro, tomilho, alecrim, sálvia, canela e cúrcuma são ótimos para se ter na despensa e usar no dia a dia, assim como a boa e velha combinação de cebola e alho.
Lembrando que você só deve utilizar sal até que seu bebê tenha pelo menos 1 ano de idade, mas mesmo assim usado com moderação e o mínimo possível, até os temperos devem ser leves e sem exageros. E se puder retardar por mais tempo essa adição de sal, melhor ainda.

Não desista na primeira rejeição: Ofereceu o alimento e ele rejeitou? Calma que isso também faz parte do processo. Por isso não desista na primeira tentativa, tente inserir o alimento de novo, mas apresentá-lo em diferentes preparações, já que nesta fase tudo é novidade para os pequenos.

Esse é um momento de grande descoberta e adaptação tanto para o bebê quanto para os pais, por isso é importante ter paciência e saber respeitar o tempo de cada um. Lembrando que não existe certo ou errado pois cada família tem a sua rotina e seu jeito de lidar com a situação, assim como cada bebê apresenta um ritmo de desenvolvimento e de aprendizagem diferentes.

E é sempre bom reforçar a importância de se ter um acompanhamento médico e nutricional para que todas as refeições sejam nutricionalmente balanceadas.

Texto por Nathália Prado – Nutricionista do Empório da Papinha CRN 44880

Assine nossa newsletter