Voltar

Transição Alimentar

O tema introdução alimentar está bem presente aqui no nosso blog né? Isso porque tem muitas mamães (e papais também) que estão passando por essa fase e possuem muitas dúvidas sobre esse assunto. No post anterior, falei um pouco sobre introdução alimentar e dei algumas dicas de como começar, quais combinações fazer e até sobre o tempero ideal, se você ainda não viu clique aqui e confira.
A Organização Mundial da Saúde recomenda que a introdução alimentar inicie a partir dos 6 meses de idade. Antes disso somente o leite materno é suficiente, mas mesmo com a alimentação já estabelecida, é aconselhado que a amamentação continue até os 2 anos, ou mais.

A partir dos 6 meses, as necessidades nutricionais do bebê já não são mais atendidas somente com o leite materno, e nesta fase o bebê já apresenta maturidade fisiológica e neurológica para receber outros alimentos. É nesta hora que começa a introdução alimentar.
No início, a alimentação complementar deve ser oferecida na consistência pastosa como papinhas e purês e gradativamente aumentar a consistência para pedacinhos até chegar à alimentação da família.

Conhecer os diferentes grupos de alimentos e saber a importância de cada um deles para a saúde da criança é super importante, assim você oferece uma alimentação adequada e saudável. Nesta etapa de transição alimentar de papinhas para pedacinhos, é importante adequar a alimentação do bebê para cada faixa de idade, o Guia alimentar para crianças menores de 2 anos, recomenda:

 

● Aos 6 meses: Este é um momento em que tudo é novidade: os sabores, a consistência sólida, a colher, o prato… E a família deve buscar fazer com que esta experiência seja a mais agradável possível. Coloque no prato pequenas quantidades dos alimentos que devem estar bem amassados. Se a criança recusar algum alimento, espere alguns dias e volte a oferecê-lo junto com alimentos que ela já gosta ou mude a forma de preparo.
● De 7 a 8 meses: À medida que a criança cresce, desenvolve outras habilidades, como sentar sem apoio, pegar a comida e levá-la à boca e aceitar alimentos com consistência mais firme ou em pequenos pedaços. Ofereça alimentos menos amassados do que antes ou bem picados, de acordo com a aceitação da criança. Coloque quantidades um pouco maiores do que as oferecidas quando a criança tinha 6
meses, sempre respeitando seus sinais de fome e saciedade.
● De 9 a 12 meses: A criança continua ganhando mais habilidades e desenvoltura. As novidades não param: ela provavelmente está engatinhando e talvez até andando com pouco ou nenhum apoio; começa a fazer movimentos de pinça com a mão, o que permite que ela segure pequenos objetos e alimentos; é capaz de levar a colher à boca; dá dentadas e mastiga melhor os alimentos mais duros. Embora o leite materno continue a ser importante para a criança, a comida começa a ter uma maior contribuição para atender as necessidades de nutrientes e energia que a criança precisa para o seu crescimento. A criança já pode receber alimentos picados na mesma consistência dos alimentos da família. As carnes ainda podem precisar ser desfiadas.

 

Coloque quantidades um pouco maiores do que as oferecidas quando a criança tinha 7 a 8 meses.

 

● De 1 a 2 anos: No decorrer do segundo ano de vida, a criança pode resistir a experimentar novos alimentos, essa situação não é permanente, e a aceitação pode melhorar com a oferta repetida ou com a modificação das formas de preparo. Nessa fase é comum o contato com guloseimas, para evitar a oferta de açúcar e alimentos ultraprocessados uma boa estratégia é levar de casa opções como uma fruta ou outro alimento de que a criança goste. Ofereça os alimentos em pedaços maiores e na mesma consistência da comida da família. Estimule a criança a comer sozinha e continue ampliando a variedade de alimentos oferecidos.

Lembrando que uma oferta variada de alimentos logo no primeiro ano de vida, contribui para que no futuro a criança tenha uma alimentação mais rica e nutritiva. Aquele papo de nutricionista de quanto mais colorido for o prato melhor é, não é brincadeira, pois a diversidade de cores e de sabores está associada a mais nutrientes, o que contribui para um crescimento saudável.

 

Aqui no Empório da Papinha tem opções para todas as fases do seu bebê, com papinhas salgadas e de frutas a partir dos 6 meses, sopas com pedacinhos a partir de 8 meses, comidinhas e lanchinhos para crianças de 1 até 8 anos.
São 10 anos de dedicação, ajudando milhares de mamães e papais com a alimentação dos pequenos. Clique aqui e conheça o nosso cardápio completo e confira diversas opções de papinhas que te ajudam nessa fase de introdução e transição alimentar.

 

Texto por Nathália Prado – Nutricionista do Empório da Papinha CRN 44880
Referência: Guia alimentar para crianças menores de 2 anos.

Assine nossa newsletter