Voltar

VOCÊ É FELIZ? – Dia Internacional da Felicidade traz reflexão sobre ser e estar feliz

Desde 2013, a ONU celebra o Dia Internacional da Felicidade todo dia 20 de março. Mas não é de hoje que o assunto está em pauta. “A felicidade é quase uma fantasia que todos desejam! Imaginamos fogos de artifício, um sol brilhando, céu azulzinho…No entanto, a felicidade está mais para um adjetivo do que substantivo. Talvez um verbo. A felicidade é um momento, um caminho”, diz a psicóloga Paula Cordeiro, do Núcleo Evoluir em Londrina.

Segundo a psicóloga, “não há um ‘estado pleno’ de felicidade. Ao longo de nossa vida, vivemos situações felizes. A felicidade é então, algo que sentimos em diferentes momentos e situações”. Ela usa a metáfora de carros em uma rodovia para explicar o vaivém de sentimentos.

“Carros podem passar várias vezes ao dia por ali. São como nossos sentimentos, que não ficam ‘parados e estáticos’, mudam o tempo todo. A vida oscila, e como o sentimento interage com a vida, ele oscila também. Às vezes, imaginamos a felicidade como um serzinho que está dentro da gente, que comanda nossas emoções. Mas não é bem assim. Por isso, é normal que no mesmo dia tenhamos vários sentimentos.”

Ainda na reflexão sobre a felicidade, a escolha dos verbos diz muito. “Podemos usar o ‘estar feliz’, ‘sentir-se feliz’ no lugar do ‘ser feliz’. Assim conseguimos identificar melhor o que nos faz sentir/ficar assim. Os sentimentos – inclusive a felicidade – estão intimamente relacionados e interagindo com todo o contexto da nossa vida. Portanto, quando a nossa vida emocional e física está em um momento “saudável”, a probabilidade de termos momentos felizes é maior”, ensina Cordeiro.

A psicóloga ainda lembra que hoje existe a ciência da felicidade, um tema que vem sendo muito estudado. “É importante que a ciência e pontos de estudo se proponham a estudar esse tema. Mais importante ainda é entendermos que nem sempre será possível sermos felizes. Por mais que a gente consiga entender como a felicidade funciona, não é interessante que sejamos sempre felizes. Porque isso estaria em desacordo com muitas situações de nossa vida”, enfatiza.

 

Para a profissional, “em vez de tentarmos ser ‘mais felizes’ podemos tentar aprender a identificar e aproveitar os momentos de felicidade. Buscar autoconhecimento pra saber o que nos faz sentir felizes e assim poder ajeitar alguns momentos da vida com o objetivo de sermos mais felizes. Mas nada disso será suficiente se não aprendermos a viver no momento presente, pra que possamos aproveitar o momento feliz!”.

texto retirado do blog Bonde

Assine nossa newsletter